quinta-feira, 13 de junho de 2013

URBANO SANTOS GANHA CONSELHO COMUNITÁRIO DE SEGURANÇA

Crack e trânsito se apresentam como maiores desafios ao novo Conselho
Reuniram-se no Auditório do Tribunal do Júri da Comarca de Urbano Santos com a presença da Juíza de Direito da Comarca, Dra. Odete Maria Pessoa Mota e, sob a coordenação do Sr. Márcio de Moraes, delegado de polícia do município e membros distintos da comunidade e representantes populares das diferentes camadas e instituições da sociedade, para a organização do CONSELHO COMUNITÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE URBANOS SANTOS - CONSEPUS, os quais se manifestaram desejosos na Fundação e Constituição da referida entidade. 

Foi franqueada a palavra aos presentes sendo que em todas as declarações salientou-se a importância dessa entidade no combate a criminalidade e as drogas, sobretudo; o crack, e a distinção do papel e envolvimento do maior número de representantes populares na formação deste Conselho e, nas ações que ocorrerão a partir delas. 

O comandante da polícia militar Subtenente Santos reafirmou a imparcialidade da polícia militar e que a sociedade de Urbano Santos não pode se contentar com o atual e pequeno índice de criminalidade do nosso município e que a ação preventiva deve ser uma ação das diversas camadas da sociedade, sentindo-se honrado pois acompanhará a formação de setecentos alunos do PROERD e ainda, que o crescimento do crack não pode ficar sem resposta pelas instituições de repressão. 

Em seguida o Pr. Edmilson Tenório destacou a importância da preservação de princípios cristãos no que se refere a segurança pública, fazendo a citação de Romanos 13, relativo à submissão as autoridades constituídas: governamentais, paternais, religiosas e a importância da base e educação familiar. 

O prof. Raimundo, presidente da câmara, afirmou que a ação da segurança deve ser preventiva, e lembrou a necessidade da construção de um centro de recuperação, tendo o mesmo emotivamente citado um exemplo familiar com a experiência do crack. O Pr. Nonato reforçou que para a construção de tal centro de recuperação é premente a necessidade de profissionais capacitados. 

Dr. Herlon, Secretário de Finanças criticou um evento ocorrido no último domingo e afirmou que não seria este o momento oportuno para uma audiência pública, pois o Conselho é a melhor via de minimizar problemas sociais graves por reunir a sociedade civil e o poder público. O Sr. Geoflancos, presidente do MDCA, apoiou a iniciativa, expondo as ações já realizadas como a marcha sobre as drogas e acompanhamento domiciliar. 

O presidente do Conselho Tutelar Raimundo Nonato, comentou sobre as dificuldades de integração familiar e da expectativa da construção de um prédio para casa dos conselhos. Por último, a Sra. Carol, assistente social do CREAS, confirmou a implantação do CAPS no município, e destacou o trabalho já realizado pela prefeitura no tratamento a usuários e pacientes e disponível às diferentes demandas com psicólogos e assistentes sociais. 

Por fim, a juíza Dra. Odete Maria Pessoa Mota elogiou a iniciativa, destacando os benefícios  sociais e ofereceu o apoio do judiciário ao Conselho. 

No instante seguinte, resolveram então, dar início à discussão e aprovação dos estatutos sociais que regerão a entidade, os quais, após lido artigo por artigo e sugeridas alterações que foram votadas e inseridas no texto original, num total de 38 artigos foram unanimemente aprovados pelos presentes. 

Em seguida, na forma estatutária, passaram à indicação e homologação da Diretoria Provisória e Conselho Fiscal e Suplentes, da entidade, para um mandato provisório de dois anos nos termos do art. 31º, § 1º. 

Após troca de idéias, sugestões e opiniões, apresentou-se uma única chapa, procedendo-se ao sufrágio, foi eleita e empossada a seguinte Diretoria Provisória: Coordenador Executivo: o Sr. Márcio de Moraes; Coordenador Adjunto: Pr. Edmilson Bezerra Tenório, Coordenador Administrativo: subtenente José Raimundo de Sousa Santos e Coordenador Financeiro: Clemilton Barros Araújo, e foram também eleitos e empossados para o Conselho Fiscal as seguintes pessoas: 1. Presidente do Conselho Fiscal o Sr. Jurandi da Conceição Pedrosa; 2. Membro do Conselho Fiscal, o Sr. Cleiton da Rocha Rosa; 3. Membro do Conselho Fiscal, o Sr. Gilbeonilton Gomes Bizerra. 

A coordenação eleita provisoriamente após a organização na entidade no período de 02 (dois) anos compromete-se a convocar o Conselho Geral Reunido da Entidade na formação estatutária para eleição da Diretoria definitiva que passará a sofrer sufrágio a cada biênio na forma estatutária.
Por: Yelenna Santos